ACELBRA - CE

Associação dos Celíacos - Sessão Ceará

End:
Av. Dom Luis, 300- Sala 331- Shopping Avenida Fortaleza - Ce

Site:
www.acelbrace.webnode.com.br

E-mail:
semglutenceara@yahoo.com.br

(85) 3094 0464
(85) 9193 3828

Sites Relacionados

FENALCEBRA

ACELBRA

  Apoio

 
 
 

IV CONGRESSO NACIONAL DE DOENÇA CELIACA

 

Agradecemos a todos que participaram e/ou contribuíram direta ou indiretamente para a Realização do IV Congresso Nacional de Doença Celíaca, realizado no mês de maio do ano corrente.

 

Bem-vindos

 

Caros,

Assumimos em janeiro a direção da Associação dos Celíacos do Brasil – Seção/CE (ACELBRA-CE) para o biênio 2011/2012, e a missão de realizarmos o congresso cientifico. Nossa intenção é congregar especialista (pediatras, gastroenterologistas, dermatologistas, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, pedagogos, clínicos gerais, fisioterapeutas, alergologistas etc), profissionais diversos, pesquisadores e acadêmicos da área de saúde e de ciências sociais, membros das Associações de Celíacos dos Brasil-ACELBRA(s), representantes do poder público (nacional, estadual e local) e representantes do setor comercial relacionados à produção e comercialização de alimentos, ao turismo e à capacitação de mão de obra para estes setores,para um grande momento de renovação de conceitos, tratamentos, diagnósticos e pesquisa; a fim de atualizar a todos sobre os novos conhecimentos e tratamentos da Doença Celíaca

 

Cleoneide Oliveira

Presidente Acelbra- CE

Vice-Presidente Fenacelbra N/NE

Fortaleza, 09 de setembro  de 2011 

 

Através deste site, propomo-nos a divulgar o trabalho da Associação dos Celíacos do Brasil - seção Ceará (ACELBRA-CE),  cujos principais objetivos são:

•Esclarecer aos celiacos quanto a doença e a dieta sem glúten;

•Divulgar a doença celiaca - através de entrevistas em revistas, jornais, radio e televisão;

•Manter contato com associações participando de congressos e seminários de âmbito nacional e internacional visando o intercambio de informações;

•Obter junto aos órgãos governamentais a pesquisa e a analise de produtos industrializados ingeridos ou utilizados pelos celíacos e apoio para divulgação e esclarecimento da doença e da acelbra;

•Exigir o cumprimento da lei 10.674 de 16 de maio de 2003, solicitando aos fabricantes de produtos alimentícios, que coloquem nas embalagens dos produtos industrializados a frase:” contem glutén ou ‘ nâo contem gluten” dentre outros.

•Incentivar as industrias brasileiras a fabricarem produtos “sem glutén”.

Participe e ajude-nos a divulgar o nosso trabalho.

 

ACELBRA-CE e a Doença Celíaca na Mídia

Celíacos Reivindicam atenção diferenciada (15 maio 2011)

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=980092

 

ACELBRA-CE comentada em Blogs

http://blogdosevero.wordpress.com/2010/11/09/4%C2%BA-encontro-da-acelbra-ce/

 

Tratamento nutricional da Doença Celíaca (11 outubro 2009)

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=678967 

 

Aguardamos mais sugestões.

 

A Doença Celíaca

A Doença Celíaca (DC), afeta o intestino delgado de crianças e adultos geneticamente predispostos, precipitada pela ingestão de alimentos contendo glúten. A DC faz parte da doença por sensibilidade ao glúten junto com Dermatite Herpetiforme (DH), Nefropatia, Artropatia e aftas recorrentes. (PEREIRA; FILHO, s/d)

Ainda pouco conhecida, seus sintomas podem se confundir com outros distúrbios. Trata-se da Doença Celíaca, ou seja : A Intolerância permanente ao glúten. A Doença Celíaca geralmente se manifesta na infância, entre o primeiro e terceiro ano de vida, podendo entretanto, surgir em qualquer idade, inclusive na adulta. O tratamento da doença consiste em uma dieta totalmente isenta de glúten. Os portadores da doença não podem ingerir alimentos como: pães, bolos, bolachas, macarrão, coxinhas, quibes, pizzas, cervejas, whisky, vodka,etc, quando estes alimentos possuírem o glúten em sua composição ou processo de fabricação. Devido a exclusão total de alguns alimentos ricos em carbohidratos e fibras, a dieta do Celíaco habitualmente é composta em sua maior parte de gorduras (margarina, manteigas, óleos, etc) e proteínas (carne em geral) e em menor parte de carbohidratos (massas sem glúten, açúcares, etc). Todo Celíaco que não transgride a doença, tende a ter um aumento do peso corporal, e desta forma deve ter uma dieta equilibrada. Para tanto, deve diminuir a ingestão de proteínas, moderar o consumo de gorduras e aumentar o consumo de frutas, sucos naturais, verduras e legumes, tornando sua alimentação mais adequada e saudável.

  

Adulto e criança com DC antes e após o tratamento.

 

  

 O que é Glúten?

É a principal proteína presente no Trigo, Aveia, Centeio, Cevada, e no Malte (ssub-produto da cevada), cereais amplamente utilizados na composição de alimentos, medicamentos, bebidas industrializadas, assim como cosméticos e outros produtos não ingeríveis. Na verdade, o prejudicial e tóxico ao intestino do paciente intolerante ao glúten são "partes do glúten", que recebem nomes diferentes para cada cereal. Vejamos : No Trigo é a Gliadina, na Cevada é a Hordeína, na Aveia é a Avenina e no Centeio é a Secalina. O Malte, muito questionado, é um produto da fermentação da cevada, portanto apresenta também uma fração de glúten. Os produtos que contenham malte, xarope de malte ou extrato de malte não devem ser consumidos pelos Celíacos. O glúten não desaparece quando os alimentos são assados ou cozidos, e por isto uma dieta deve ser seguida à risca. O Glúten agride e danifica as vilosidades do intestino delgado e prejudica a absorção dos alimentos.

 

 Quais os sintomas mais comuns?

O quadro clínico da doença se manifesta com e sem sintomas. No primeiro caso, há duas formas:

A CLÁSSICA

É freqüente na faixa pediátrica, surgindo entre o primeiro e terceiro ano de vida, ao introduzirmos alimentação à base de papinha de pão, sopinhas de macarrão e bolachas, entre outros industrializados com cereais proibidos. Caracteriza-se pela diarréia crônica, desnutrição com déficit do crescimento, anemia ferropriva não curável, emagrecimento e falta de apetite, distensão abdominal (barriga inchada), vômitos, dor abdominal, osteoporose, esterilidade, abortos de repetição, glúteos atrofiados, pernas e braços finos, apatia, desnutrição aguda que podem levar o paciente à morte na falta de diagnóstico e tratamento.

NÃO CLÁSSICA

Apresenta manifestações monossintomáticas, e as alterações gastrintestinais não chamam tanto a atenção. Pode ser por exemplo, anemia resistente a ferroterapia, irritabilidade, fadiga, baixo ganho de peso e estatura, prisão de ventre, constipação intestinal crônica, manchas e alteração do esmalte dental, esterilidade e osteoporose antes da menopausa.

ASSINTOMATICA

E se não houver sintomas? Há ainda, a doença na forma assintomática. São realizados nestes casos, exames (marcadores sorológicos) em familiares de primeiro grau do celíaco, que têm mais chances de apresentar a doença (10%). Se não tratada a doença, podem surgir complicações como o câncer do intestino, anemia, osteoporose, abortos de repetição e esterilidade.

 

Fonte: Associação dos Celíaco do Brasil: http://www.acelbra.org.br/2004/doencaceliaca.php
 

 

 Doenças associadas à Doença Celíaca

Numerosas condições têm sido relatadas com Doença Celíaca, tanto em crianças como em adultos. Geralmente são afecções com envolvimento de mecanismos auto-imunes e/ou ligadas a antígenos do sistema HLA. O quadro clínico pode ser um mosaico entre os sintomas e sinais da DC e da entidade associada. O diagnóstico de ambas será feito conforme a natureza da co-morbidade*.

 

Por ordem alfabética:

• acidose tubular renal

• alveolite fibrosante

• artrite reumatóide

• asma e atopia

• câncer do intestino delgado

• câncer do esôfago e da faringe

• cirrose biliar primária

• coarctação da aorta

• deficiência de Ig A

• diabetes mellitus

• doença de Addison

• doenças da tireóide

• epilepsia com calcificações cerebrais

• fibrose cística

• hemossiderose pulmonar

* alergia alimentar

• linfoma

• lúpus eritematoso disseminado

• pancreatite crônica

• poliomiosite

• psoríase

• síndrome de Down

* síndrome do intestino irritável

• síndrome de Sjögren

 * Referência: Dra Lorete Kotze - artigo de atualização : JBG, J. Bras. Gastroenterol., Rio de Janeiro, v.6, n.1, p.23-34, jan./mar. 2006

Dermatite Herpetiforme  

 Dermatite Herpetiforme é um estado de “empolação” da pele dos sensíveis a glutén e que coça intensamente, mesmo quando se trata de uma erupção branda. Não é contagioso, é genético. O nome Dermatite Herpetiforme é descritivo. A erupção cutânea não é relativa a herpes ou dermatite comum, mas sim uma condição crônica específica.

 

 

Lesões na pele causada pela ingestão de glúten.

Novidades

Jantar Natalino

07/12/2012 18:26
Ocorrerá hoje, no Ponta Mar Hotel em Fortaleza, um jantar de celebração natalina com a direção e participantes da associação ACELBRA-Ce, a partir das 18h.
Encontra-se disponível para download, o gibi da ALCEFOZ - Doença Celíaca: o que é e como tratar. Disponível no fomato PDF. Link para dowloand aqui
Foram postadas aqui no site, as fotos da Semana dos Celíacos e do dia da inauguração da 1º gôndola sem glúten no supermercado Super do Povo Parque Dois Irmãos, que aconteceu no dia 26/06 deste ano. Confira as fotos e não deixe de postar seus comentários! 
A 14ª Conferência Nacional de Saúde é o evento sobre saúde mais importante no Brasil e acontecerá em Brasília, Distrito Federal no período de 30 de novembro a 4 de dezembro de 2011.  Mais informações no link www.conselho.saude.gov.br.
 A Feira Gastronômica de Produtos sem Glúten consiste numa parceria entre a Faculdade Estácio FIC/SESC, com os seguitnes objetivos:   Atividade com finalidade arrecadatória Divulgação da DC Aproximar fornecedores de produto sem glúten dos celíacos Aproximar a...

Reuniões Mensais

30/04/2011 02:54
Participem das nossas reuniões mensais, que ocorrem no último sábado de cada mês e saiba mais sobre a doença celíaca e sobre a nossa associação e projetos. Contamos com sua presença!